Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais

As Cores Negras da Lama : Etnoecologia Abrangente na Comunidade Quilombola Salamina Putumuju, Recôncavo da Bahia

Autor(a): Viviane Souza Martins
Orientador(a): José Geraldo Wanderley Marques
Data de defesa: 27/10/2014

Banca:

José Geraldo Wanderley Marques [Orientador]

Antônio Carlos Sant’Ana Diegues

Francisco José Bezerra Souto

Pedro Paulo Abreu Funari

Cristina Simão Seixas

 

A etnoecologia é um campo de pesquisas que visa elucidar as relações entre sociedades humanas e natureza. Na margem oeste do Recôncavo Baiano, situa-se a Baía do Iguape, localizada na interface da foz do rio Paraguaçu com a Baía de Todos-os-Santos. Na localidade, onde em agosto de 2000 foi criada a Reserva Extrativista Marinha Baía do Iguape, está situada a comunidade quilombola Salamina Putumuju. A renda e subsistência de grande parte da comunidade se baseiam no extrativismo de recursos naturais tais como pescado e espécies vegetais como dendê e piaçava. A reserva convive atualmente com a operação de empreendimentos de infraestrutura com grande potencial causador de impacto que incidem, sobretudo nas atividades pesqueiras. Optou-se por abordar as relações pessoas/ambiente através de etnoecologia abrangente e contextualizá-las no tempo e nos processos históricos vividos pelos extrativistas. Além disso, foi verificada a percepção nativa a respeito dos impactos ambientais provocados pela instalação e operação dos empreendimentos. Uma combinação de ferramentas de coleta de dados qualitativos (entrevistas, observação direta, turnês guiadas) foi utilizada. O território abrigou um quilombo de escravos fugidos no período colonial e o trabalho escravo esteve presente na comunidade até a recente certificação quilombola. O Conselho Pastoral dos Pescadores teve papel decisivo no processo de transformação social. Os extrativistas possuem aprofundado conhecimento da dinâmica dos recursos pesqueiros e do fenômeno das marés o que otimiza o exercício da atividade pesqueira. Além disso, compreendem aspectos ecológicos do recurso piaçava que historicamente é considerado como principal fonte de renda da comunidade local. Os empreendimentos geradores de grandes impactos, principalmente a operação da Usina Hidrelétrica Pedra do Cavalo têm sido interpretados pelos pescadores como principais responsáveis pela diminuição dos estoques pesqueiros na região

Palavras Chave:

Etnoecologia Quilombolas Pesca artesanal